UM ULTIMATO PLANETÁRIO

 

 

A sabedoria oral vinda do Mosteiro de Tashi Lhumpo, no Tibete,  assegura que há milhões de anos um certo número de seres sobre-humanos de outros mundos superiormente evoluidos no seio do Cosmos, veio para a Terra acelerar o progresso do nosso planeta e da Humanidade. Tinham o papel importante de desenvolver o espírito concreto e a individualidade no homem, porém quando os Bodhisattvas (Seres Iluminados) apareceram para elevarem o coração do ser humano, o mestre da Terra recusou-se e se rebelou contra eles.  

Foi  a revolta de 'Satã' contra os Mestres Cósmicos e, desde então, Mara  tornou-se o “Príncipe  das Trevas”, ou aquele a quem Jesus  Cristo se referiu mais tarde dizendo: "O Príncipe deste mundo já está julgado"...  

A repugnância do mestre terrestre em colaborar com o Mestre do Sol e dos outros Mundos  gerou uma crise entre a terra e o céu e a humanidade perdeu a sua ligação com os Seres da Luz passando a viver na ignorância, originando todo o mal num mundo cada vez mais doente que carece urgentemente duma cósmica Intervenção.

Assim,  todos os povos vão ser confrontados agora com todos os erros e males de uma civilização decadente que evoluiu cientifica e tecnologicamente, mas se degrada moral e espiritualmente, correndo riscos de sofrer uma grande destruição. Na verdade chegou o tempo da Humanidade fazer uma verdadeira opção, porquanto os Mestres Cósmicos dizem a ‘Satã’:

«Está bem que tua candeia brilhe, mas que não faça embargo a outras luzes mais gloriosas do vasto espaço estrelado!  Destrói a muralha que construiste em redor da Terra, porque dentro dela a humanidade sufoca espiritualmente. O relógio cósmico mostra que vai chegar o tempo da Idade do Espirito, não o podes parar mesmo que o desejes, porque os Dhyan Choans (Seres Supraplanetários) trarão em breve do fundo do Espaço um corpo que tem estado invisivel até aqui, um simples vórtice de energias, mas quando entrar em acção  as suas chamas devorarão todas as tuas obras»...

  «Século após século, milénio após milénio, temos dirigido mensagens à Humanidade que convinham aos diversos povos. Todas insistiam na necessidade da união e da fraternidade universal. Infelizmente, muito poucos conseguiram despertar a consciência humana e por isso se torna necessário agora (nestes tempos críticos) lançar um último aviso. É o "Ultimato Planetário: a Humanidade terá de aceitar o Poder do Coração, ou destruir-se-á a si própria. Tendo transgredido a lei da universalidade da vida, pelo seu comportamento destruidor, o homem será julgado e punido pela Natureza. Todas as cidades poderão ser submersas pelos oceanos e os grandes continentes desmantelados por cataclismos vulcânicos».

«Depois do Ano dos Arahts (Homens Iluminados ou Mestres Perfeitos), o Ultimato Planetário deverá ser presente à atenção de todos os povos do mundo. Esta mensagem deverá ser transmitida com bondade e compaixão, embora com toda a firmeza pelos homens de boa vontade».

 

 

Por fim,  "a Humanidade deve escolher entre a via que leva ao abismo da decadência moral e a que sobe para as estrelas", concluia o pandita ou lama tibetano prevendo uma Crise que se alastraria no século actual.

"Se a Mensagem não for ouvida e se as massas se obstinarem em pisar o caminho ao lado do 'Principe das Trevas', então a Hierarquia Cósmica levantará o desafio e o Mestre Radioso de Shambhala aniquilará todo o mal que existe na Terra".

"Passou o tempo das crucificações e dos suaves profetas que pregavam ás multidões entusiastas. Estamos agora no tempo dos 'Arhats' que se exprimirão por meio dos Elementos e os Exércitos Celestes estão prontos para combater os 'guerreiros das Trevas' e todas as forças maléficas da Terra que envenenam o Espaço e perturbam todo o Sistema Solar".

Fica aqui esta Mensagem que deve ser levada em atenção por todos os lideres do Planeta e povos da actual geração..

  Pausa para reflexão!

  Rui Palmela

 

 Voltar