SONHO, VISÃO OU FICÇÃO?

 

 

       A história que vou contar resume-se a um ‘contacto’ espiritual, sonho ou visão, que tive há vários anos atrás e jamais poderei esquecer.  Tudo começou um dia estava eu olhando para o céu, à noite, encostado à parede da minha casa, no silêncio do Bairro onde morava. A maioria das pessoas já dormia e eu estava ali sozinho, observando milhares de estrelas (ou Sois) que brilhavam lá no alto. 

     Na verdade eu sentia uma espécie de ‘nostalgia’ espiritual imaginando aquelas regiões do Universo onde tudo é luz, cor, som, paz e harmonia,  com outras Humanidades vibrando em perfeita sintonia.  “Na casa do meu Pai há muitas moradas”... dizia Jesus-Cristo em sua pregação referindo-se a outros Mundos com milhões de anos de evolução!

      Nestas minhas reflexões não dei pelo tempo passar e, baixando os olhos à terra, entrei em casa e fui-me deitar.  Adormeci facilmente e daí a pouco estava a sonhar, ou melhor, a ver-me do lado de fora da casa (no mesmo sítio) onde as coisas se apresentavam mais nítidas e as próprias estrelas apresentavam um brilho como naquelas histórias de encantar. 

 

 

      De repente vi aparecer do lado norte duas luzes de cor dourada, a deslocarem-se no céu na minha direcção, tendo uma ficado parada  no lado poente do bairro enquanto a outra foi colocar-se no lado nascente como se fossem 2 sentinelas a guardar qualquer acontecimento importante naquela noite. Apercebi-me que algo iria suceder a seguir e entrei dentro de minha casa deixando a porta aberta como se já esperasse alguém que ia surgir. Aguardei um pouco e eis que vejo surgir dois casais esbeltos, de aspecto agradável (eles mais altos do que suas companheiras), cuja presença me fez sentir uma enorme sensação de bem-estar naquele ‘sonho’ que eu desejaria não terminasse...  

      Eram seres de alto nível e embora eu não lhes tivesse visto bem o rosto, apercebi-me que tinham cabelos compridos, alourados, de aspecto jovem, e estabeleciam comigo uma linguagem telepática em que eu via mentalmente tudo o que estávamos a dialogar, coisas e lugares que eram referidos durante nossa comunicação.   

Estivemos ali durante algum tempo no meu quarto, onde eu estava a ‘dormir’ mas com a noção de estar a sonhar e a passar por toda esta experiência, falando do que se passa neste Planeta, principalmente a nível dos consumismos desmesurados que obrigam a uma super exploração aos seus recursos naturais e abordámos a questão da fome e da miséria por um lado, os excessos alimentares e desperdícios por outro, a ignorância da Sociedade logo desde as escolas, as guerras entre os humanos, os problemas da Poluição, enfim,  tudo o que faz este Mundo ser o pior de todos os tempos por estarmos destruindo cada vez mais a Natureza, desrespeitando a vida na Terra e  dos próprios seres da Criação.    

      Às tantas, um daqueles visitantes do Espaço (em contacto astral ou espiritual comigo naquela noite) levantou-se e deu-me a entender que tinham de se retirar, pois não podiam estar ali mais tempo, talvez para que eu pudesse acordar.  Confesso que fiquei muito triste porque estava a sentir-me muito bem com a sua presença e havia profundos laços de identidade espiritual nas nossas almas.  No entanto, eu sabia que tinham de partir e assim os vi afastarem-se de mim em direcção à porta por onde tinham entrado.  

     Vi os seres dirigirem-se em silêncio para as suas naves (as tais ‘luzes’ douradas que os trouxe até ali)  e ocorreu-me fazer-lhes uma última pergunta antes de desaparecerem completamente. Ou seja, perguntei donde tinham vindo e quando voltariam de novo, e a resposta foi breve, pouco nítida, a fazer já ‘eco’ nos meus ouvidos enquanto acordava, mas ainda pude ouvir  "está para breve" e uma frase do género "somos de Alfa-Couver...” (pareceu-me isso, ou Alfa Centauro como mais tarde depreendi).  

´

 

      Após tudo isto acordei (a meio da noite) e estive alguns momentos deitado, de olhos abertos, a pensar neste fantástico sonho  que jamais me tinha acontecido.  Voltei-me para o outro lado e adormeci novamente, voltando a sonhar mas agora vendo surgir um cenário bem diferente do anterior.  Isto é, vi um campo verdejante no meio do qual se encontrava bem na minha frente a figura clássica de Jesus-Cristo, o Mestre Nazareno, vestido de túnica branca até aos pés, de cabelos longos castanhos, chamando por vários nomes que eu reconheci de imediato, com muita emoção,  pois eram nomes de discípulos que já me eram familiares, como Tiago, João, André, etc., e também muitas outras pessoas  que ele ia mandando sentarem-se no chão à sua direita ou esquerda conforme indicava. 

    Compreendi que estava  fazendo a 'Selecção' ou a separação do “trigo do joio” e vi muita gente (a maior parte) a ser rejeitada para mundos inferiores onde iriam padecer conforme seu grau de 'involução' humana e entristeci-me muito porque senti que iam para regiões inferiores do Universo (as  "trevas exteriores" referidas por Jesus) onde as condições de vida seriam mais difíceis do que na Terra e nada mais recordando de suas vidas passadas. 

      Acordei chorando, lágrimas quentes escorriam pelo meu rosto e levantei-me de imediato (eram 5 horas da manhã +-). Fui até à janela da minha sala  olhar para o céu estrelado a pensar em tudo isto e vi lá no alto uma estrela muito brilhante a cintilar no meio das outras duma forma que me tocava o coração.  Na verdade eu só podia vê-la àquela hora da madrugada devido ao ponto onde me encontrava e ao movimento de rotação da Terra. Por isso percebi que não foi por acaso o facto de ter acordado àquela altura e ir à janela ver mais um ‘sinal’ que selaria o meu sonho naquela noite.  

 

 

      Mas a história não acaba aqui.

      Meses depois, ia eu numa rua de Setúbal (cidade onde moro e donde sou natural) e passei casualmente por uma montra de livraria onde estavam expostos vários livros duma  colecção de obras psicografadas que me chamaram a atenção.  Entre elas vi uma de capa azul intitulada “Os OVNIS – Missão Celeste de Ashtar Sheran" dum conceituado médium-telepata alemão de nome Herbert Victor Speer que diz ter recebido mensagens de seres superiormente evoluidos do seio do Cosmos, com milhares de anos de avanço científico, tecnológico, social, moral e espiritual, à nossa frente. 

    Comprei o livro para lê-lo com imensa atenção e assim que desfolhei a primeira página eis que apanhei uma enorme surpresa e senti mesmo um 'arrepio' ao ver um auto-retrato de um ser  que me pareceu idêntico ao que vi meses antes no meu sonho que acima descrevi. Mais ainda, verifiquei que as mensagens revelavam uma grande preocupação pelo que se está a passar neste Mundo com nossa forma de Civilização. E mais curioso ainda é o facto das mensagens serem dirigidas (segundo o médium-telepata alemão) de "Alfa-Centauro", uma Constelação das mais conhecidas pelos nossos astrónomos, e terem na base uma linguagem associada às directrizes dos próprios ensinamentos de Jesus Cristo, tal como me apercebi no meu sonho daquela noite.  Coincidências?!!  -  Claro que não.

      Portanto, para mim o ‘sonho’ que tive e esta obra literária psicografada por uma pessoa que nem conheço, não é fantasia nem literatura de Ficção, mas sim algo muito sério que deviamos levar em conta neste século de Civilização. Além do mais foram enviadas várias cópias do livro em causa para vários responsáveis deste Planeta (Chefes de Estado ou Presidentes de vários paises do Mundo, incluindo o Vaticano) cuja finalidade é preparar as mentalidades para um possível CONTACTO extraterrestre após ou durante os chamados acontecimentos de “Juizo Final” profetizados por Jesus para o século actual. Penso até que são eles os tais ‘Anjos’ que ele referia no seu Sermão dizendo que viriam sobre as "nuvens do céu" (suas naves) “com poder e grande glória” (no meio de brilho), para intervir no sentido de ajudar a Humanidade que vai passar por tempos difíceis ou  grandes atribulações como nunca houve em anteriores civilizações.

 

 

      Na verdade creio que tais portentos surgirão do céu (do Espaço) em número suficiente para recolher dos ‘4 ventos’ do Mundo (de todos os lugares da Terra) o número de 'eleitos' ou  sobreviventes que resistirem ás catástrofes, salvaguardando-os para uma Nova Humanidade que se formará mais pela qualidade e não quantidade, após as grandes mudanças ou transformações no Planeta, inclusive uma possível mudança de posição do seu Eixo, tal como já aconteceu no tempo do Dilúvio quando a espécie humana degenerou de sua condição, como está escrito.

    Duvidar disto é não acreditar também nas próprias palavras de Jesus Cristo, porquanto ele dizia que a vinda do "Filho do homem" seria como nos dias de Noé, sendo facto que os degelos polares já começaram e o nível das águas do mar vai subir (como afirmam os próprios cientistas da Actualidade),  além de que as alterações climáticas são uma realidade que se agrava cada vez mais nos tempos que correm dando sinais de que a Humanidade vai passar  por dias de grande atribulação, anunciados ha muito para esta geração. Doutro modo, Jesus dizia que sua nova vinda seria como o 'raio' que se mostra do Oriente ao Ocidente, e não estaria aqui nem ali, mas se manifestaria primeiro dentro dos humanos corações, preparando consciências para um Mundo Novo que surgirá depois das necessárias modificações.

      Que o meu ‘sonho’ se torne em realidade e que a história contada nestas linhas sirva para abrir a mentalidade de muitos que tal como eu desejam construir um mundo melhor, com mais verdade e mais amor. Que venha pois um "novo céu e uma nova terra, na Paz de Cristo, no Reino de Cristo",  como está escrito no Apocalipse de S. João, o chamado Livro da Revelação.

Pausa para reflexão!

     RUI PALMELA

 

        Voltar